terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

DENGUE

O Colégio Estadual Rui Barbosa está preparando uma ação contra a dengue De acordo com o Ministério da Saúde é necessário promover a comunicação e a mobilização social para que a sociedade adquira conhecimentos sobre como evitar a dengue, zika e chikungunya, participando efetivamente da eliminação contínua dos criadouros potenciais do mosquito. A sociedade deve ser informada sobre a doença (modo de transmissão, quadro clínico, tratamento, etc.), sobre o vetor (seus hábitos, criadouros domiciliares e naturais) e sobre as medidas de prevenção e controle para que possa adotar um novo comportamento frente ao problema. Neste contexto a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro propõe o Projeto #EscolaSemAedes, cujo objetivo é orientar, mobilizar e recomendar aos estudantes, e a toda a comunidade escolar, ações de prevenção e combate ao moquisto,


 Combate ao mosquito vetor das doenças.


Filme

Objetivo Geral do Projeto 
Conscientização sobre a gravidade da doença 




Trabalho - Vida e Natureza - Bomba Semente

Diferença entre Dengue, Chikungunya e Zika

Mosquitérica

Mosquitérica passo a passo



Atividade Educativa - Projeto Dengue
Fique ligado!!

professora RUTH DI BURIASCO

Construção de uma mosquitérica.




"A mosquitérica é um instrumento educacional", sua utilização tem também um      
   caráter motivacional, na medida em que a pessoa pode fiscalizar se o combate ao mosquito está sendo efetivo e acompanhar o processo de desenvolvimento do Aedes aegypti.
Importante!

    
Como as larvas do Aedes aegypti fogem da luz, basta usar uma lanterna para descobrir se as larvas que se desenvolvem na armadilha são da espécie. Caso a suspeita se confirme, deve-se chamar a vigilância epidemiológica. "Dessa forma, os agentes não saem aleatoriamente em busca de focos do mosquito".
Para descartar as larvas presentes na armadilha, basta adicionar cloro, água sanitária ou sabão e esperar que elas morram, jogando o conteúdo no vaso sanitário. Já no caso de mosquitos adultos, deve-se agitar o líquido, de forma a afogar os espécimes, e depois tirar a tampa e derramar o conteúdo sobre a terra.

Além de combater os mosquitos, a mosquitérica é feita de materialreciclado
Veja a seguir como fazer:

Materias necessários

  • Uma garrafa pet de 2 litros
  • Uma tesoura
  • Uma lixa de madeira nº 180
  • Um rolo de fita adesiva ou isolante
  • Um pedaço de tecido "micro tule" ou "filó", suficiente para vedar o bico da garrafa
  • Um pouco de arroz, que servirá de alimento para as larvas.

Procedimento

1. Corte a garrafa em duas partes, de forma que a parte da boca fique menor. O ideal é cortá-la na parte em que há um ângulo entre o segmento do gargalo e o da base da garrafa.

2. Retire a tampa da garrafa. Com cuidado, retire o anel do lacre e guarde-o, ele também será usado na nossa mosquitérica;

3. Coloque o tecido no gargalo e prenda-o com o anel. Note que deve ser um tecido bem fino, de forma que a larva não consiga passar de volta;
4. Lixe bem a parte de cima da garrafa. Isso serve para aumentar a área de evaporação, assim, fica mais fácil para o mosquito localizar a armadilha;














5. Coloque na parte de baixo da garrafa o alimento que você escolheu para que haja o desenvolvimento das larvas. Pode ser 5 grãos de alpiste ou 3 grãos de arroz, mas sempre triturado. Isso é opcional. Caso você não o coloque, as larvas morrerão de fome;
6. Introduza a parte do gargalo virada para baixo na parte inferior da garrafa;
7. Use a fita adesiva para fixar as duas partes, do lado externo;
8. Coloque água sem cloro dentro da mosquitérica, alguns centímetros acima do gargalo. Caso não disponha de água sem cloro, pegue áqua da torneira e deixe-a em repouso por dois dias. Só depois coloque-as na mosquitérica;


COMO USAR

Depois de pronta, coloque a mosquitérica em lugares estratégicos, de preferência em locais frescos e sombreados. Se a água evaporar muito, complete-a. Para saber se as larvas são de Aedes aegypti, use uma lanterna. Se ao focar a luz da lanterna as larvas fugirem, ou seja, se demonstrarem um fotatactismo negativo, elas são larvas do Mosquito da Dengue.

Observação: Miguel no blog, ou AVA, como preferir, postaremos um link que levará ao filme desta engenhoca.


"O rio atinge seus objetivos porque aprendeu a contornar obstáculos"
                                         (Lao- Tsé).



Referências:

Instituto de Microbiologia Professor Paulo de Góes. O que a virologia pode fazer contra a dengue?PRISCILA BIANCOVILLI - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS UFRJ – CCS dmvi@reitoria.ufrj.br


 Cabral adaptou a idéia dos pesquisadores Antônio Gonçalves Pereira e Hermano César Jambo, ambos também da UFRJ, que criaram e patentearam a Mosquiteira, armadilha de produção industrial.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Dengue uma ameaça todo dia
                                                                                 

Colégio Estadual Rui Barbosa
na luta contra a dengue
Fevereiro de 2017